Jovem denuncia tentativa de estupro na UnB, e caso é enquadrado como ato obsceno

Uma estudante de letras de 21 anos denunciou uma tentativa de estupro no prédio principal da Universidade de Brasília (UnB), no sábado (1º) pela manhã. Em depoimento à polícia, ela declarou que estava indo ao banheiro quando se deparou com um homem com a calça abaixada até os pés.

De acordo com o depoimento da jovem, ele estava se masturbando e caminhou em direção a ela. Foi quando gritou para as amigas, correu e procurou os seguranças da UnB.

Ao G1, ela disse que foi segurada por ele e foi puxada para o banheiro, mas conseguiu fugir. “De início, os seguranças não acharam ele. Vinte minutos depois, ele estava do outro lado, no ICC [Instituto Central de Ciências] Sul e tinha tentado atacar outras duas meninas”, afirmou a estudante.

O homem, de 26 anos, foi levado para a delegacia. Na mochila dele, havia drogas. O caso foi enquadrado como porte de droga e ato obsceno.

“Na delegacia, o escrivão não estava muito interessado e disse que isso não configura tentativa de estupro, mas ato obsceno porque eu corri”, relembrou a jovem.

“Ele assinou um termo circunstanciado e foi liberado, junto comigo, pela porta, como se nada tivesse acontecido.”

Trecho do depoimento da vítima à Polícia Civil (Foto: Reprodução/TV Globo)

Trecho do depoimento da vítima à Polícia Civil (Foto: Reprodução/TV Globo)

Questionada, a Polícia Civil declarou que “a tipificação do registro é entendimento da autoridade policial, após analisar os fatos e ouvir as partes”. Durante um inquérito, porém, o delegado ainda pode mudar o entendimento sobre um caso na hora de indiciar o suspeito.

A Reitoria da UnB confirmou o episódio e informou que está acompanhando o caso “de perto”. Declarou ainda que o agressor – um ex-aluno – foi identificado pelas câmeras de segurança, recém-instaladas. “A equipe de vigilância tomou as providências adequadas para esse tipo de situação.”

“A UnB se solidariza com a vítima, a quem dará todo o apoio necessário. Acrescenta, ainda, que repudia qualquer tipo de violência contra a mulher e permanece comprometida com o aperfeiçoamento das ações para a melhoria da segurança da comunidade acadêmica.”

Veja mais notícias sobre a região no G1 DF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *