Conheça DJ e bandas que embalaram o 51º Festival de Cinema de Brasília

Áudio bem captado e a trilha sonora adequada podem ser considerados cruciais para quem faz cinema. Do outro lado da tela, a plateia costuma notar a importância dos recursos sonoros quando eles falham – e os ouvidos reclamam.

No Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, o mais antigo do país nessa categoria, as músicas que abrem programações e introduzem mostras acabam por constituir a própria identidade do evento.

Festival de Cinema de Brasília: Esdras Nogueira compôs introdução da Mostra Competitiva
G1 DF
Festival de Cinema de Brasília: Esdras Nogueira compôs introdução da Mostra Competitiva

Festival de Cinema de Brasília: Esdras Nogueira compôs introdução da Mostra Competitiva

Na 51ª edição, a trilha sonora escolhida para abrir as sessões do Troféu Candango foi uma composição do saxofonista Esdras Nogueira, integrante da extinta banda Móveis Coloniais de Acaju.

Na começo de todas as sessões, três músicas se revezaram:

  • “Bolso nada”, do Francisco El Hombre
  • “Bella Ciao” – considerada um hino da resistência italiana contra o fascismo e que ficou mundialmente famosa com a série “La casa de papel”

Já na apresentação dos filmes, quando as equipes eram convidadas a subir ao palco, as músicas oscilavam entre Muntchako, Forró Red Light e Sistema Criolina.

DJ Barata

Samuel Mota, Rodrigo Barata e Macaxeira Aciole são os integrantes do grupo de música instrumental Muntchako — Foto: Ferreira Maia/Divulgação

Samuel Mota, Rodrigo Barata e Macaxeira Aciole são os integrantes do grupo de música instrumental Muntchako — Foto: Ferreira Maia/Divulgação

Quem comandou as sonoridades do festival foi o DJ Barata, um dos criadores do Coletivo Criolina e integrante da banda Muntchako. Ele também foi responsável pela trilha sonora do ano passado, junto com o DJ Pezão, do mesmo coletivo.

“Grande parte dos filmes falava do protagonismo feminino, negro, gay e trans. Então, as músicas precisavam conversar com isso”, explicou ao G1.

Cine Brasília exibe filmes do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Festival de Brasília do Cinema Brasileiro/Divulgação

Cine Brasília exibe filmes do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Festival de Brasília do Cinema Brasileiro/Divulgação

Segundo Barata, a maior parte das músicas usadas durante o festival foram de bandas e artistas da capital. “Fiz uma publicação na internet pedindo pra galera me enviar músicas e recebi cerca de 200 – todas de Brasília.”

Na abertura das mostras, nos intervalos das apresentações, na entrada e na saída do público, o DJ soltava o som. Ao final de cada sessão, as músicas dialogavam com o último filme exibido. “Eu via o filme, sacava o que tinha de mensagem ali, pegava as músicas e fazia um mix.”

Entrevistadas no documentário "Torre das donzelas" ao lado da diretora, Susanna Lira, no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Festival de Brasília do Cinema Brasileiro/DivulgaçãoEntrevistadas no documentário "Torre das donzelas" ao lado da diretora, Susanna Lira, no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Festival de Brasília do Cinema Brasileiro/Divulgação

Entrevistadas no documentário “Torre das donzelas” ao lado da diretora, Susanna Lira, no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Festival de Brasília do Cinema Brasileiro/Divulgação

Após a exibição do documentário “Torre das donzelas”, por exemplo, a música escolhida por Barata foi “Maria da Vila Matilde”, de Elza Soares. “Você vai se arrepender de levantar a mão pra mim”, cantou um trecho.

Equipe e elenco do filme "Temporada", de André Novais de Oliveira, no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Humberto Araújo/DivulgaçãoEquipe e elenco do filme "Temporada", de André Novais de Oliveira, no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Humberto Araújo/Divulgação

Equipe e elenco do filme “Temporada”, de André Novais de Oliveira, no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Humberto Araújo/Divulgação

“Antes da exibição de ‘Temporada’ [vencedor do prêmio de “melhor longa-metragem”], o diretor, André Novais de Oliveira, falou que a mãe dele tinha falecido e o nome dela era Maria. Fui atrás da música ‘Maria Maria’, do Milton Nascimento e foi um chororô no final.”

Na cerimônia de premiação do Festival de Cinema, neste domingo (23), o diretor agradeceu ao DJ pela “sensibilidade” da escolha.

O diretor André Novais de Oliveira, do filme "Temporada", no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Humberto Araújo/DivulgaçãoO diretor André Novais de Oliveira, do filme "Temporada", no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Humberto Araújo/Divulgação

O diretor André Novais de Oliveira, do filme “Temporada”, no 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro — Foto: Humberto Araújo/Divulgação

Veja o que fazer em Brasília no G1 DF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *